Últimas

13 hábitos que ajudam a diminuir a barriga


Sem “pochete”

      Você faz dieta, sua a camisa na academia, mas ela continua no mesmo lugar. Até mesmo para quem não é obeso, a barriga saliente pode ser um incômodo e tanto. De acordo com a nutricionista Sonja Salles, da Greenday, para se livrar de vez da gordura abdominal, em geral, é preciso perder peso, já que o emagrecimento é global, com perda mais acentuada onde há acúmulo de banha.

Apesar disso, existem hábitos (alimentares ou não) que ajudam a reduzir esse volume desnecessário. Além de Sonja, EXAME.com consultou a também nutricionista Cintia Azeredo, do Vita Check-Up Center. As duas indicaram atitudes aliadas dessa batalha, que precisa ser levada ainda mais a sério pelas pessoas que têm tendência ao problema. Confira.


Gastar mais calorias do que consome

Não tem jeito. Para queimar gordura (do abdômen ou outra parte do corpo), é preciso ter um gasto energético maior do que o consumo. De acordo com Sonja Salles, “para perder peso é necessário uma diminuição do valor calórico ingerido diariamente”.

A fórmula não é apenas ingerir poucas calorias, mas também seguir um programa alimentar rico em nutrientes, fibras e antioxidantes. O ideal é comer cinco porções diárias de frutas e vegetais, mas também é possível substitui-las por sucos funcionais, caso a pessoa não tenha esse hábito.


Corrigir a postura

“A postura errada faz com que a barriga pareça maior”, afirma Cintia Azeredo. Por isso, corrigir o corpo é essencial. Segundo, atividades e exercícios, como pilates e ioga, são boas opções para melhorar a postura e manter a saúde. 


Comer alimentos com fibras

“O aumento do consumo de fibras na dieta contribui para redução da barriguinha, já que as pessoas tendem a ingerir menos gorduras e calorias”, afirma Cintia Azeredo. Ela e Sonja concordam que ingerir frutas, vegetais, aveia e alimentos integrais, por exemplo, ajuda a jogar fora o excesso de gordura e a melhorar o funcionamento do intestino.

Associados às fibras, vale a pena comer fontes de ômega-3, como sardinha, salmão, chia e linhaça, que também atuam no emagrecimento (e, consequentemente, na perda da barriga).


Fazer exercícios

Para perder peso e barriga, não basta ter uma dieta balanceada. O trabalho deve ser feito em conjunto com exercícios físicos aeróbicos e localizados, que queimam calorias e fortalecem a musculatura do abdômen. “É importante o acompanhamento de um educador físico para melhores resultados”, afirma Cintia.


Evitar pão branco

O pãozinho francês ou o pão de forma do misto quente estão entre os alimentos que ajudam a aumentar a barriga. Apesar de parecerem inocentes, seu principal ingrediente, a farinha refinada (branca) é a responsável, segundo Cintia Azeredo. “Ela, leva à fermentação e produção de gases, por meio de seu carboidrato, provocando aumento abdominal. Prefira os pães integrais”, diz.


Reduzir o açúcar da dieta

A nutricionista Cintia Azeredo afirma que o açúcar também é um ingrediente que causa aumento do abdômen, já que provoca desequilíbrio da flora intestinal. Esse efeito reduz a presença de bactérias benéficas e aumenta a quantidade de micro-organismos maléficos, levando à distensão do abdômen, além, claro, de engordar.


Combater o estresse

Fazer aquilo que gosta e evitar situações e uma rotina estressante está entre os hábitos sugeridos pela nutricionista Cintia para reduzir a barriga. Isso porque o estresse ajuda a aumentar o peso, devido a reações hormonais prejudiciais.

Atividades prazerosas, de lazer e bem-estar são a chave para compensar o cotidiano pesado, que nem sempre pode ser contornado.


Evitar bebidas alcoólicas

Assim como o açúcar, as bebidas alcoólicas levam à distensão abdominal pelos mesmos motivos. Ao desequilibrar a flora bacteriana intestinal, elas prejudicam a aparência. Além disso, os drinks ainda podem engordar, devido ao alto grau de calorias.


Cortar comidas ricas em sódio

Para quem deseja reduzir o volume da barriga, comer embutidos e congelados, por exemplo, é um retrocesso. De acordo com Cíntia, esses e outros alimentos industrializados costumam ter grande quantidade de sódio, além da gordura. “Isso faz com que ocorra a retenção de líquidos, levando a sensação de inchaço na barriga”, afirma.


Investir nos termogênicos

Aliados no combate ao barrigão e ao excesso de peso são os chamados alimentos termogênicos. Essas comidas e bebidas costumam acelerar o metabolismo e, com isso, impulsionam o gasto de calorias. Alguns exemplos são a pimenta vermelha, canela, gengibre, chá verde e água gelada.


Fugir do que é “junk”

Se o intuito é perder a barriga ou afastar as chances de ela aumentar, as comidas gordurosas, como salgadinhos, empadões, queijos gordurosos, sanduíches, frituras e manteiga, devem ser evitados, de acordo com as nutricionistas. Além de dificultar o acúmulo de gordura no abdômen, esse hábito previne problemas como o colesterol alto e doenças cardiovasculares.


Evitar refrigerantes

Cintia ainda afirma valer a pena cortar os refrigerantes do cardápio, por duas razões. A primeira diz respeito à grande quantidade de açúcar das fórmulas. A segunda está ligada ao gás, que também ajuda a inflar a barriga, dando a impressão de estar maior.


Controlar alimentos que causam desconforto

Apesar de nutritivos, há alimentos que podem causar desconforto abdominal, segundo Cintia Azeredo. Repolho, brócolis, couve-flor, couve e feijões são alguns exemplos de comidas que provocam o aumento de gases em algumas pessoas e, assim, aumentam a barriga.