Segurar o xixi: hábito pode gerar infecção urinária e até incontinência

© Fornecido por Minha Vida

Quase todo mundo já viveu uma situação como esta: muita vontade de fazer xixi e nenhum banheiro por perto. O jeito é esperar até chegar a um local para esvaziar a bexiga, é normal passar por isso de vez em quando. Porém, o problema é quando "ficar apertado" vira um hábito, podendo ser prejudicial para a saúde.

O urologista Rafael Buta, da Aliança Instituto de Oncologia, conta que esse problema é bem mais comum entre as mulheres, incentivadas à essas atitudes ainda crianças. "Desde a infância as meninas já são ensinadas que não devem urinar em qualquer banheiro, têm que segurar o xixi até chegar em casa, e elas acabam levando isso para a vida adulta", comenta ele. "Quando estão na rua, muitas mulheres até evitam beber água para não sentirem vontade de urinar", completa.

Quais são os riscos de segurar o xixi?

Segurar o xixi pode parecer algo inofensivo e simples, porém aqueles períodos de aperto são portas de entrada para outros problemas."Nas mulheres, a eliminação de urina ajuda a 'limpar' o canal e, portanto a evitar infecções. Já segurar a urina por muito tempo pode facilitar a entrada de bactérias até à bexiga", conta o urologista Cássio Andreoni, do Hospital Israelita Albert Einstein. Ou seja, infecção urinária à vista!

Além disso, quando ficar segurando a vontade de fazer xixi passa a fazer parte da sua rotina, os riscos a longo prazo são ainda mais preocupantes. "Ao longo dos anos, esse costume causa a deterioração da musculatura da bexiga, do períneo, da pelve, musculaturas da bacia e, com o tempo, leva à dificuldade em urinar, infecção urinária de repetição, bexiga hiperativa e incontinência urinária", explica Rafael.

Quantas vezes devo urinar por dia?

Que tal começar a monitorar se está indo ao banheiro na quantidade de vezes necessárias a cada dia? "Normalmente, vamos ao banheiro com cerca de 300 ml de urina na bexiga. O ideal é urinar, por dia 1500 ml a 2000 ml, portanto, cerca de 5 a 6 vezes ao dia. A melhor prevenção é tomar bastante água, o que, além de hidratar, fará com que tenha mais vontade de urinar e trará o hábito de ir ao banheiro com mais frequência", orienta Cássio.

Porém, essa quantidade não é regra e Cássio destaca que se a vontade bater, ficar segurando é a última opção. "Quando se está com vontade, o importante é ir e não segurar. O ideal é limpar o vaso sanitário público antes de urinar ou, o que muitas mulheres já fazem, urinar sem encostar no assento", diz ele.

Sempre que possível, Rafael orienta a sentar no vaso, se estiver em boas condições de higiene, pois só assim a bexiga ficar totalmente vazia. "Quando a mulher não senta no vaso sanitário, não há o relaxamento dos músculos da pelve e isso faz com que haja um esvaziamento incompleto da bexiga. Esse resíduo de urina que fica na bexiga pode acarretar em uma infecção urinária ou até piorar algum outro problema que a mulher já tinha, mas que era leve", destaca o urologista.

Se a mulher sentir algum incômodo ou dor na região da bexiga, a orientação é de buscar a ajuda de um profissional. "O ginecologista ou urologista que irá solicitar exames, avaliar o caso e, dependendo do diagnóstico, o tratamento pode ser feito com medicação via oral ou pomada apropriada para ser aplicada no local", finaliza Cássio.

Amanda Cruz

Mundo MS Inc.

Um Mundo De Informações a "1" Click.