➤Siga nosso perfil oficial no Twitter , Se Inscreva em nosso canal no YouTube "Mundo MS"
, Curta nossa fan page "Mundo MS" no facebook
((( Mundo MS, O Conhecimento é Fascinante! )))

Você já pensou: "Ah! Estou me alimentando certinho, vivo de dieta, não preciso treinar para emagrecer!" ou "Treino todos os dias, não há problema passar em um fast food depois". Você com certeza já parou para se questionar, afinal: qual é o mais importante, o exercício ou a dieta?

Emagrecimento
Já reforcei aqui a importância do déficit calórico no seu emagrecimento, isto é, você precisa ter um saldo diário de gasto maior que consumo. Por isso, é importante sempre manter o equilíbrio entre o balanço energético.

  • Benefícios da alimentação Embora a alimentação e os exercícios sejam importantes para o emagrecimento, geralmente é mais fácil controlar sua ingestão de calorias modificando sua alimentação do que "queimar" significativamente mais calorias por meio de exercícios. Pode ser por isso que a regra para o emagrecimento 80% alimentação e 20% exercícios tornou-se popular. Queimar tantas calorias todos os dias requer uma quantidade significativa de movimento. Uma maneira saudável de controlar a ingestão de calorias e promover a perda de peso sem contar calorias é se concentrar em comer alimentos inteiros minimamente processados que sejam ricos em fibras, proteínas e gorduras saudáveis.
  • Benefícios do exercício Os exercícios ajudam no processo de emagrecimento de muitas maneiras. O treinamento de força ajuda a preservar e construir massa muscular, o que pode aumentar sua taxa metabólica com o tempo, de forma que seu corpo "queima" mais calorias, mesmo em repouso. Além disso, uma única sessão de treinamento de força pode aumentar sua taxa metabólica por até 72 horas. Já os exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida ou ciclismo --especialmente em intensidade baixa a moderada por 30 minutos ou mais-- podem "queimar" um número significativo de calorias em uma única sessão e ajudar a promover um déficit calórico. O exercício regular também pode ajudar a controlar a fome, regulando os hormônios da fome, ajudando a evitar comer demais. Ao "queimar" calorias extras e aumentar sua taxa metabólica, a atividade física regular permite que você tenha mais flexibilidade com sua dieta, tornando a perda de peso mais agradável e menos restritiva.
  • Benefícios combinação de dieta e exercícios Concentre-se em fazer mudanças positivas em sua dieta e rotina de exercícios que funcionem para você. Apesar de existir a regra popular 80% alimentação e 20% exercício, para você pode funcionar atingir seu déficit calórico diário de 50% com dieta e 50% com exercícios. Isso significa que você gastará mais tempo e energia se exercitando --mas, em troca, você não precisará limitar tanto a ingestão de alimentos. A chave para um controle e perda de peso saudável a longo prazo é combinar alimentação e exercícios como um grande hábito. Uma revisão mostrou que combinar uma restrição controlada de calorias e exercícios era a melhor maneira de conseguir um emagrecimento significativo e, em alguns casos, a combinação dos dois levou a um emagrecimento cinco vezes maior em comparação com o uso apenas de exercícios, por exemplo. Outra revisão constatou que os programas de emagrecimento que combinaram alimentação e exercícios, tiveram resultados de emagrecimento significativamente maiores do que intervenções baseadas em mudanças na dieta ou apenas exercícios. Por isso, combinar mudanças na alimentação e exercícios regulares pode ajudá-lo a alcançar um emagrecimento mais significativa e sustentável a longo prazo.
Saúde cardiovascular
Tanto o exercício quanto a dieta alimentar desempenham papéis significativos na saúde do coração.

  • Benefícios da dieta Os alimentos que comemos podem ajudar ou prejudicar a saúde do cardiovascular. Um exemplo é a Dieta Dash, já exposta aqui, que é conhecida como "abordagem dietética para impedir a hipertensão", foi desenvolvida na década de 90 por cientistas norte-americanos com o objetivo de tratar pessoas com pressão alta, porém, a prática de seus conceitos pode beneficiar, e muito, a redução para o risco de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer e outras doenças muito frequentes da atualidade. Existe também a Dieta Mediterrânea, que traz benefícios ao coração, sendo rica em gorduras insaturadas saudáveis, com quantidades limitadas de gorduras saturadas e açúcares adicionados devido ao seu foco em alimentos frescos e minimamente processados.
  • Benefícios do exercício Estudos demonstraram que o exercício pode ajudar a diminuir o risco de doenças cardíacas, diminuir a pressão arterial e os níveis de colesterol LDL (ruim), melhorar a saúde cardiovascular e melhorar a aptidão cardiorrespiratória. O exercício cardiovascular de moderada a alta intensidade fortalece o coração, reduzindo a quantidade de estresse no coração e nas artérias, o que diminui o risco de doenças cardíacas. Além disso, o exercício regular pode reduzir o risco de desenvolver diabetes tipo 2 --que está fortemente ligado a doenças cardíacas-- melhorando a sensibilidade à insulina e o controle de açúcar no sangue. As recomendações gerais incluem 150 minutos de exercícios de intensidade moderada, 75 minutos de exercícios de alta intensidade ou uma combinação dos dois a cada semana para a saúde cardíaca ideal. Mesmo uma atividade aeróbica de baixa intensidade, como caminhar, pode reduzir o risco de doenças cardíacas.
  • Benefícios combinação de dieta e exercícios Combinar uma alimentação saudável com atividade física regular é uma das maneiras mais eficazes de reduzir o risco de doenças cardíacas. Outras mudanças no estilo de vida que melhoram a saúde do coração incluem parar de fumar, limitar ou eliminar o álcool, manter um peso saudável para o corpo e controlar o estresse.
Benefícios para saúde geral da combinação exercícios e alimentação
Construção muscular
    Para construir músculos, você precisa realizar treinamento de resistência com sobrecarga progressiva e ingerir proteína suficiente ao longo do dia. A sobrecarga progressiva envolve o aumento gradual do volume e da carga do exercício —por meio de um peso maior, mais séries ou mais repetições— para estressar os músculos.

Se você não desafiar seus músculos através do treinamento de resistência, você não construirá músculos simplesmente comendo uma dieta rica em proteínas. Da mesma forma, se você praticar exercícios de treinamento de força, mas não consumir proteína suficiente, será difícil ganhar músculos. Por isso, tanto a dieta quanto os exercícios são importantes para a construção muscular.

Saúde mental
Uma dieta nutritiva rica em gorduras saudáveis, fibras, probióticos, vegetais e frutas está associada a um melhor bem-estar mental e a um menor risco de ansiedade e depressão. Além disso, baixos níveis de certos nutrientes, incluindo zinco, vitaminas D e B12 e gorduras ômega-3, estão associados à piora da saúde mental.

O exercício também pode trazer benefícios imediatos e de longo prazo para a saúde mental, pois promove a liberação de endorfinas que aumentam o humor —como dopamina, serotonina e norepinefrina. Além disso, o exercício regular está associado a taxas mais baixas de depressão moderada, ansiedade e outras condições de saúde mental. Além de qualquer tratamento recomendado pelo seu profissional de saúde, exercícios regulares e uma dieta nutritiva podem melhorar seu bem-estar mental.

Por isso, seguem algumas dicas
  • Inclua um vegetal em cada refeição.
  • Coma pelo menos três cores diferentes de frutas e vegetais todos os dias.
  • Incorpore proteínas de origem vegetal, como feijão ou lentilha, pelo menos duas vezes por semana.
  • Substitua um lanche requintado por um pedaço de fruta fresca por dia.
  • Limite o álcool a uma bebida por dia ou 1-2 dias por semana.
  • Escolha uma versão integral de seu alimento rico em carboidratos, como arroz integral em vez de arroz branco.
  • Caminhe por 15 minutos pelo menos 3 vezes por semana.
  • Passe 10 minutos do intervalo do almoço alongando ou caminhando.
  • Treine 3 vezes por semana.
Fonte: Uol
Referências:
BRICARELLO, Liliana Paula et al. Abordagem dietética para controle da hipertensão: reflexões sobre adesão e possíveis impactos para a saúde coletiva. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2020, vol.25, n.4 [cited 2021-05-21], pp.1421-1432. Available from: . Epub Apr 06, 2020. ISSN 1678-4561. https://doi.org/10.1590/1413-81232020254.17492018.
Manore MM, Larson-Meyer DE, Lindsay AR, Hongu N, Houtkooper L. Dynamic Energy Balance: An Integrated Framework for Discussing Diet and Physical Activity in Obesity Prevention-Is it More than Eating Less and Exercising More?. Nutrients. 2017;9(8):905. Published 2017 Aug 19. doi:10.3390/nu9080905
Ainsworth BE, Haskell WL, Herrmann SD, Meckes N, Bassett DR Jr, Tudor-Locke C, Greer JL, Vezina J, Whitt-Glover MC, Leon AS. 2011 Compendium of Physical Activities: a second update of codes and MET values. Med Sci Sports Exerc. 2011 Aug;43(8):1575-81. doi: 10.1249/MSS.0b013e31821ece12. PMID: 21681120.
Koliaki C, Spinos T, Spinou ?, Brinia ?E, Mitsopoulou D, Katsilambros N. Defining the Optimal Dietary Approach for Safe, Effective and Sustainable Weight Loss in Overweight and Obese Adults. Healthcare (Basel). 2018;6(3):73. Published 2018 Jun 28. doi:10.3390/healthcare6030073
Johns DJ, Hartmann-Boyce J, Jebb SA, Aveyard P; Behavioural Weight Management Review Group. Diet or exercise interventions vs combined behavioral weight management programs: a systematic review and meta-analysis of direct comparisons. J Acad Nutr Diet. 2014 Oct;114(10):1557-68. doi: 10.1016/j.jand.2014.07.005. PMID: 25257365; PMCID: PMC4180002.
Swift DL, Johannsen NM, Lavie CJ, Earnest CP, Church TS. The role of exercise and physical activity in weight loss and maintenance. Prog Cardiovasc Dis. 2014;56(4):441-447. doi:10.1016/j.pcad.2013.09.012
Foright RM, Presby DM, Sherk VD, et al. Is regular exercise an effective strategy for weight loss maintenance?. Physiol Behav. 2018;188:86-93. doi:10.1016/j.physbeh.2018.01.025
Douglas JA, King JA, Clayton DJ, et al. Acute effects of exercise on appetite, ad libitum energy intake and appetite-regulatory hormones in lean and overweight/obese men and women. Int J Obes (Lond). 2017;41(12):1737-1744. doi:10.1038/ijo.2017.181
Alajmi N, Deighton K, King JA, Reischak-Oliveira A, Wasse LK, Jones J, Batterham RL, Stensel DJ. Appetite and Energy Intake Responses to Acute Energy Deficits in Females versus Males. Med Sci Sports Exerc. 2016 Mar;48(3):412-20. doi: 10.1249/MSS.0000000000000793. PMID: 26465216; PMCID: PMC5642317.
Crochiere RJ, Kerrigan SG, Lampe EW, et al. Is physical activity a risk or protective factor for subsequent dietary lapses among behavioral weight loss participants?. Health Psychol. 2020;39(3):240-244. doi:10.1037/hea0000839
Douglas JA, Deighton K, Atkinson JM, Sari-Sarraf V, Stensel DJ, Atkinson G. Acute Exercise and Appetite-Regulating Hormones in Overweight and Obese Individuals: A Meta-Analysis. J Obes. 2016;2016:2643625. doi:10.1155/2016/2643625
Ainsworth BE, Haskell WL, Herrmann SD, Meckes N, Bassett DR Jr, Tudor-Locke C, Greer JL, Vezina J, Whitt-Glover MC, Leon AS. 2011 Compendium of Physical Activities: a second update of codes and MET values. Med Sci Sports Exerc. 2011 Aug;43(8):1575-81. doi: 10.1249/MSS.0b013e31821ece12. PMID: 21681120.
Ismail I, Keating SE, Baker MK, Johnson NA. A systematic review and meta-analysis of the effect of aerobic vs. resistance exercise training on visceral fat. Obes Rev. 2012 Jan;13(1):68-91. doi: 10.1111/j.1467-789X.2011.00931.x. Epub 2011 Sep 26. PMID: 21951360.
Aristizabal JC, Freidenreich DJ, Volk BM, Kupchak BR, Saenz C, Maresh CM, Kraemer WJ, Volek JS. Effect of resistance training on resting metabolic rate and its estimation by a dual-energy X-ray absorptiometry metabolic map. Eur J Clin Nutr. 2015 Jul;69(7):831-6. doi: 10.1038/ejcn.2014.216. Epub 2014 Oct 8. PMID: 25293431.
Burt DG, Lamb K, Nicholas C, Twist C. Effects of exercise-induced muscle damage on resting metabolic rate, sub-maximal running and post-exercise oxygen consumption. Eur J Sport Sci. 2014;14(4):337-44. doi: 10.1080/17461391.2013.783628. Epub 2013 Apr 8. PMID: 23566074.
MacKenzie-Shalders K, Kelly JT, So D, Coffey VG, Byrne NM. The effect of exercise interventions on resting metabolic rate: A systematic review and meta-analysis. J Sports Sci. 2020 Jul;38(14):1635-1649. doi: 10.1080/02640414.2020.1754716. Epub 2020 May 12. PMID: 32397898.
Manore MM, Larson-Meyer DE, Lindsay AR, Hongu N, Houtkooper L. Dynamic Energy Balance: An Integrated Framework for Discussing Diet and Physical Activity in Obesity Prevention-Is it More than Eating Less and Exercising More?. Nutrients. 2017;9(8):905. Published 2017 Aug 19. doi:10.3390/nu9080905
McMurray RG, Soares J, Caspersen CJ, McCurdy T. Examining variations of resting metabolic rate of adults: a public health perspective. Med Sci Sports Exerc. 2014;46(7):1352-1358. doi:10.1249/MSS.0000000000000232
Willis LH, Slentz CA, Bateman LA, et al. Effects of aerobic and/or resistance training on body mass and fat mass in overweight or obese adults. J Appl Physiol (1985). 2012;113(12):1831-1837. doi:10.1152/japplphysiol.01370.2011
Dinu M, Pagliai G, Sofi F. A Heart-Healthy Diet: Recent Insights and Practical Recommendations. Curr Cardiol Rep. 2017 Aug 24;19(10):95. doi: 10.1007/s11886-017-0908-0. PMID: 28840462.
Martínez-González MA, Gea A, Ruiz-Canela M. The Mediterranean Diet and Cardiovascular Health. Circ Res. 2019 Mar;124(5):779-798. doi: 10.1161/CIRCRESAHA.118.313348. PMID: 30817261.
Salas-Salvadó J, Becerra-Tomás N, García-Gavilán JF, Bulló M, Barrubés L. Mediterranean Diet and Cardiovascular Disease Prevention: What Do We Know? Prog Cardiovasc Dis. 2018 May-Jun;61(1):62-67. doi: 10.1016/j.pcad.2018.04.006. Epub 2018 Apr 18. PMID: 29678447.
Said MS, El Sayed IT, Ibrahim EE, Khafagy GM. Effect of DASH Diet Versus Healthy Dietary Advice on the Estimated Atherosclerotic Cardiovascular Disease Risk. J Prim Care Community Health. 2021 Jan-Dec;12:2150132720980952. doi: 10.1177/2150132720980952. PMID: 33632022; PMCID: PMC7917845.
Bowen KJ, Sullivan VK, Kris-Etherton PM, Petersen KS. Nutrition and Cardiovascular Disease-an Update. Curr Atheroscler Rep. 2018 Jan 30;20(2):8. doi: 10.1007/s11883-018-0704-3. PMID: 29383458.
Lanier JB, Bury DC, Richardson SW. Diet and Physical Activity for Cardiovascular Disease Prevention. Am Fam Physician. 2016 Jun 1;93(11):919-24. PMID: 27281836.
Jin J. Counseling on Healthy Diet and Physical Activity to Prevent Cardiovascular Disease. JAMA. 2020 Nov 24;324(20):2114. doi: 10.1001/jama.2020.22344. PMID: 33231666.
Colpani V, Baena CP, Jaspers L, van Dijk GM, Farajzadegan Z, Dhana K, Tielemans MJ, Voortman T, Freak-Poli R, Veloso GGV, Chowdhury R, Kavousi M, Muka T, Franco OH. Lifestyle factors, cardiovascular disease and all-cause mortality in middle-aged and elderly women: a systematic review and meta-analysis. Eur J Epidemiol. 2018 Sep;33(9):831-845. doi: 10.1007/s10654-018-0374-z. Epub 2018 Mar 10. PMID: 29524110.
Liu G, Li Y, Hu Y, Zong G, Li S, Rimm EB, Hu FB, Manson JE, Rexrode KM, Shin HJ, Sun Q. Influence of Lifestyle on Incident Cardiovascular Disease and Mortality in Patients With Diabetes Mellitus. J Am Coll Cardiol. 2018 Jun 26;71(25):2867-2876. doi: 10.1016/j.jacc.2018.04.027. PMID: 29929608; PMCID: PMC6052788.
Jäger R, Kerksick CM, Campbell BI, Cribb PJ, Wells SD, Skwiat TM, Purpura M, Ziegenfuss TN, Ferrando AA, Arent SM, Smith-Ryan AE, Stout JR, Arciero PJ, Ormsbee MJ, Taylor LW, Wilborn CD, Kalman DS, Kreider RB, Willoughby DS, Hoffman JR, Krzykowski JL, Antonio J. International Society of Sports Nutrition Position Stand: protein and exercise. J Int Soc Sports Nutr. 2017 Jun 20;14:20. doi: 10.1186/s12970-017-0177-8. PMID: 28642676; PMCID: PMC5477153.
Pallazola VA, Davis DM, Whelton SP, et al. A Clinician's Guide to Healthy Eating for Cardiovascular Disease Prevention. Mayo Clin Proc Innov Qual Outcomes. 2019;3(3):251-267. Published 2019 Aug 1. doi:10.1016/j.mayocpiqo.2019.05.001
Yu E, Malik VS, Hu FB. Cardiovascular Disease Prevention by Diet Modification: JACC Health Promotion Series. J Am Coll Cardiol. 2018;72(8):914-926. doi:10.1016/j.jacc.2018.02.085
Ravera A, Carubelli V, Sciatti E, et al. Nutrition and Cardiovascular Disease: Finding the Perfect Recipe for Cardiovascular Health. Nutrients. 2016;8(6):363. Published 2016 Jun 14. doi:10.3390/nu8060363
Widmer RJ, Flammer AJ, Lerman LO, Lerman A. The Mediterranean diet, its components, and cardiovascular disease. Am J Med. 2015;128(3):229-238. doi:10.1016/j.amjmed.2014.10.014
Chiavaroli L, Viguiliouk E, Nishi SK, et al. DASH Dietary Pattern and Cardiometabolic Outcomes: An Umbrella Review of Systematic Reviews and Meta-Analyses. Nutrients. 2019;11(2):338. Published 2019 Feb 5. doi:10.3390/nu11020338
Tian D, Meng J. Exercise for Prevention and Relief of Cardiovascular Disease: Prognoses, Mechanisms, and Approaches. Oxid Med Cell Longev. 2019;2019:3756750. Published 2019 Apr 9. doi:10.1155/2019/3756750
Pinckard K, Baskin KK, Stanford KI. Effects of Exercise to Improve Cardiovascular Health. Front Cardiovasc Med. 2019;6:69. Published 2019 Jun 4. doi:10.3389/fcvm.2019.00069
Nystoriak MA, Bhatnagar A. Cardiovascular Effects and Benefits of Exercise. Front Cardiovasc Med. 2018;5:135. Published 2018 Sep 28. doi:10.3389/fcvm.2018.00135
Rippe JM. Lifestyle Strategies for Risk Factor Reduction, Prevention, and Treatment of Cardiovascular Disease. Am J Lifestyle Med. 2018;13(2):204-212. Published 2018 Dec 2. doi:10.1177/1559827618812395
Schoenfeld BJ, Contreras B, Vigotsky AD, Peterson M. Differential Effects of Heavy Versus Moderate Loads on Measures of Strength and Hypertrophy in Resistance-Trained Men. J Sports Sci Med. 2016;15(4):715-722. Published 2016 Dec 1.
Mertens E, Markey O, Geleijnse JM, Lovegrove JA, Givens DI. Adherence to a healthy diet in relation to cardiovascular incidence and risk markers: evidence from the Caerphilly Prospective Study. Eur J Nutr. 2018;57(3):1245-1258. doi:10.1007/s00394-017-1408-0
Adan RAH, van der Beek EM, Buitelaar JK, Cryan JF, Hebebrand J, Higgs S, Schellekens H, Dickson SL. Nutritional psychiatry: Towards improving mental health by what you eat. Eur Neuropsychopharmacol. 2019 Dec;29(12):1321-1332. doi: 10.1016/j.euroneuro.2019.10.011. Epub 2019 Nov 14. PMID: 31735529.
Basso JC, Suzuki WA. The Effects of Acute Exercise on Mood, Cognition, Neurophysiology, and Neurochemical Pathways: A Review. Brain Plast. 2017;2(2):127-152. Published 2017 Mar 28. doi:10.3233/BPL-160040
Heijnen S, Hommel B, Kibele A, Colzato LS. Neuromodulation of Aerobic Exercise-A Review. Front Psychol. 2016;6:1890. Published 2016 Jan 7. doi:10.3389/fpsyg.2015.01890
Giménez-Meseguer J, Tortosa-Martínez J, Cortell-Tormo JM. The Benefits of Physical Exercise on Mental Disorders and Quality of Life in Substance Use Disorders Patients. Systematic Review and Meta-Analysis [published correction appears in Int J Environ Res Public Health. 2020 Jul 17;17(14):]. Int J Environ Res Public Health. 2020;17(10):3680. Published 2020 May 23. doi:10.3390/ijerph17103680
Bremner JD, Moazzami K, Wittbrodt MT, Nye JA, Lima BB, Gillespie CF, Rapaport MH, Pearce BD, Shah AJ, Vaccarino V. Diet, Stress and Mental Health. Nutrients. 2020 Aug 13;12(8):2428. doi: 10.3390/nu12082428. PMID: 32823562; PMCID: PMC7468813.

Qual a sua opinião sobre essa matéria?

Postagem Anterior Próxima Postagem