Cresce número de estudos que ligam câncer à radiação dos celulares

Uma matéria divulgada pelo site Digital Trends aponta que diversos médicos e pesquisadores da área de oncologia apostam numa ligação maior entre casos de câncer na cabeça e pescoço com a radiação emitida por modelos de smartphones que estão no mercado. 

Desde 2011, novos estudos surgiram apontando a radiofrequência como potencialmente cancerígena. Agora, a própria Organização Mundial da Saúde classificou os campos eletromagnéticos como "possivelmente cancerígenos para seres humanos". Um painel de 31 cientistas especializados de 14 países diferentes trabalharam em conjunto para a conclusão da OMS. 

Segundo a pesquisa, a radiação emitida por telefones celulares e outros dispositivos de comunicação sem fio deve ser colocada na mesma lista de risco para o ser humano em que estão inclusas substancias como chumbo, níquel e gasolina. 

A reportagem do Digital Trends ainda mostra que os principais estudos nessa área até 2011 foram patrocinados pelas grandes empresas de comunicações sem fio e que uma série de pesquisas independentes têm conclusões contrarias, comprovando o potencial cancerígeno dos smartphones.

Multimidia Info

"O Conhecimento é fascinante"